NOTÍCIAS
Do salto 15 à bota de borracha: produtora de leite conta história de superação no Show Rural

A história da ex-modelo Marlene Kaiut, que virou uma das principais produtoras de leite do Paraná, é exemplo de superação para agricultoras de todo o Brasil. Não foi à toa que dezenas delas saíram de casa de madrugada, nessa terça-feira (6), para participar de um bate-papo com Marlene no estande do Programa Oeste em Desenvolvimento (POD), no Show Rural Coopavel, em Cascavel. 

Há oito anos, Marlene e o marido, Anselmo, tinham uma dívida de mais R$ 400 mil relacionada aos negócios no campo, sem qualquer perspectiva de pagar. Estavam perto de fechar as porteiras da propriedade de 46 hectares, herdada pela família, em Carambeí, cidade distante 140 quilômetros de Curitiba, tamanho era o desânimo. Ela, que na época ainda dividia sua atenção com caras e bocas diante das câmeras, decidiu então que era de trocar o salto 15 e as passarelas pela bota de borracha e a lida na leiteria.

"Uma decisão difícil, mas necessária”, disse. “Como modelo eu tinhas as melhores roupas e calçados, mas não ganhava dinheiro. Resolvi assumir a produção de leite.”

A dedicação integral para tentar salvar suas terras deu certo e em sete anos ela transformou o sítio em uma lucrativa fábrica de leite. Pagou a dívida e já investiu mais de R$ 1 milhão na propriedade. Com investimento em maquinário e dedicação, a renda de R$ 14 mil mensais, saltou para R$ 100 mil. Hoje, produz 2,5 mil litros de leite por dia. De 60 animais no início, agora tem 160.

Embora hoje seja quase uma celebridade entre as agricultoras, segundo ela, não foi fácil chegar até este ponto. O primeiro desafio foi mostrar ao próprio marido que uma modelo, com garra e determinação, poderia investir e ter sucesso nos negócios. Depois, enfrentou o preconceito dos funcionários, que não aceitavam receber ordens de mulher.

Mãe de três filhos, ela também divide seu tempo como palestrante. Nas próximas semanas, Marlene participará de um evento na Colômbia – mas nem a agenda apertada a distancia da vida no campo e de continuar vendo os primeiros raios solares já na labuta. “Tenho dois funcionários, mas sou eu quem cuida da limpeza e da higienização da leiteria”, conta.

Fãs

Entre as fãs que acompanharam a história de Marlene estão Leandra Deito, Raquel Volff e Ângela Grandemann. Elas foram algumas das mulheres que saíram de casa às 5h para participar do bate-papo com a produtora. “Eu produzo frango. A dedicação dela nos negócios chama muito a minha atenção”, disse Leandra.

“Ela é um exemplo não apenas de sucesso nos negócios, mas de comportamento feminino. Ela é destemida e corajosa. Não tem medo de enfrentar o mundo. Todas nós deveríamos ser assim”, afirmou Raquel.

Ângela acompanha tudo que Marlene publica nas redes sociais e também o que sai sobre ela nos veículos de comunicação. “Não poderia deixar de conhecê-la pessoalmente. Foi um grande presente.”

Sanidade animal

Nesta quarta-feira (7), o assunto em debate do estande do Programa Oeste em Desenvolvimento no Show Rural será sanidade animal. Às 10h haverá a palestra “Paraná Livre de Aftosa sem Vacinação”.  O assunto é uma das prioridades do programa, pois a última vacinação do rebanho paraense ocorrerá em maio. “O fim da vacina é uma das nossas bandeiras, mas precisamos estar preparados para cuidar da sanidade dos nossos animais sem a imunização”, afirmou o presidente do POD, Danilo Vendruscolo.